Cloridrato de Ranitidina

O que é Ranitidina?

O Cloridrato de Ranitidina é um composto utilizado para tratamento de úlcera no estômago ou no duodeno. Eventualmente pode ser receitado combinado com outros medicamentos, já que, por exemplo, alguns medicamentos para artrite podem causar úlcera. Assim a ranitidina é receitada para controle desse efeito.

Por ser um medicamento de ação simples e direcionada não possui muitas contraindicações, porém é sempre bom se atentar com a dosagem e a administração, sendo o ideal acompanhamento por médico especialista no caso.

Composição

"/O cloridrato de ranitidina pode ser adquirido na versão de 168 mg ou 336 mg, sendo a concentração a principal diferença dos compostos. No entanto, a dosagem deve ser acompanhado por profissionais devidamente qualificados.

Sua composição conta com a presença de:

  • Celulose microcristalina;
  • Dióxidos de silício e titânio;
  • Cloreto de metileno;
  • Macrogol;
  • Hipromelose polissorbato 80;
  • Croscarmelose sódica;
  • Estearato de magnésio.
A ação do medicamento se dá diretamente no estômago, onde visa a redução da quantidade de ácido produzida. Dessa maneira favorece a cicatrização de eventuais feridas no local indicado, bem como no duodeno, evitando maiores complicações.

No entanto o seu uso não pode ser suspenso. Apesar de ter ação rápida e dar respostas em pouco tempo o uso contínuo é preciso, até porque os sintomas podem eventualmente retornar, causando mais desconfortos. Por isso, somente através do aval médico o Cloridrato de Ranitidina pode ter seu uso finalizado.

O acompanhamento médico é necessário, pois a falta dos sintomas podem mascarar algo muito mais grave e que necessita de maior atenção, como é o caso do tumor no estômago. Se não houver sinais, não poderá haver intervenções, portanto não se terá conhecimento da doença.

Por isso visitar um profissional regularmente pode ser uma boa pedida, pois além de tratar dos sintomas, fará uma avaliação do por que dos sintomas existirem e agirem de tal forma, de modo que o tratamento possa ser o mais amplo possível, gerando melhora sem recaídas.

A dosagem pode ser revista conforme forem observados problemas no trato renal, para que os rins não fiquem sobrecarregados. Por isso, ao visitar o médico relate toda a sua situação e sintomas para que ele possa indicar a melhor forma de tratamento para a sua causa específica. Desse modo evitam-se erros desnecessários e que podem, às vezes, gerar piora no quadro descrito, devido à negligência pessoal e falta de sinceridade com a real situação.

Para que serve?

O Cloridrato de Ranitidina serve para tratamento de úlceras no estômago e no duodeno, conforme apontado anteriormente. Eventualmente pode ser usado como prevenção ao uso de outro medicamento, cujo efeito é aumentar a produção do ácido no estômago, causando úlceras em longo prazo.

Cloridrato

Sua ação é diretamente em todos os casos e doenças relacionados com a acidez no estômago, seja diretamente ou indiretamente, visto que previne também problemas respiratórios causados pela alta produção de ácido. Assim, o Cloridrato de Ranitidina pode agir de maneira direta ou preventiva.

Quem pode tomar?

Ratinida InjetávelDe um modo geral não existem contraindicações, no entanto é bom estar atento a alguns quadros que são considerados cautelosos.

São eles: alergia a ranitidina, se pretende engravidar em breve ou está amamentando. O uso nestes casos é muito restrito e é somente indicado com o devido acompanhamento.

Efeitos colaterais

RatinidaDe maneira geral não existem efeitos colaterais significativos registrados pelo uso do medicamento. Porém existem alguns sinais que devem ser observados atentamente e podem indicar ou somente uma reação adversa, ou surgimento de um quadro mais grave, precisando de acompanhamento médico.

Alguns efeitos raros são:

  • Respiração ofegante;
  • Dor e aperto no peito;
  • Febre;
  • Lábios e pálpebras inchadas;
  • Sensação de fraqueza.

Algumas reações muito raras são casos de alergias graves. Seja em qualquer um dos motivos busque um médico urgentemente e suspenda o uso do medicamento. Pessoas também já relataram casos de alucinações, impotência sexual, diarréia, confusão mental, queda de cabelo, dor de cabeça, sensação de depressão ou aparecimento de hematomas pelo corpo.

Essas são reações muito raras e poucas vezes registradas, porém não significa que a atenção deve ser diminuída, pelo contrário, sentindo qualquer um dos sintomas o médico deve ser procurado imediatamente. Vale lembrar que em caso de gestantes, lactantes e idosos o uso é recomendado através de acompanhamento e prescrição médica. Não há contraindicações para crianças, no entanto a mesma regra vale.

É preciso estar atento se os sintomas não indicam nada grave e que precisa ser de fato analisado, por isso a visita ao médico antes de pensar no uso do medicamento é necessário, a fim de se evitar maiores complicações no quadro, caso este for mais grave.

Sobre os efeitos colaterais, mesmo não havendo registro de tantos, é bom sempre ficar atento e em caso de qualquer sinal deles, suspender o uso e buscar um médico.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *